Devo vacinar os meus filhos ou não?

vacinaçao

Tem havido muita discussão quanto os benefícios ou não das vacinas. O caso mais recente foi a “epidemia” de sarampo em Portugal, em que tivemos 23 casos ao mesmo tempo, de pessoas que não haviam sido vacinadas em criança (isto em abril de 2017).

Em Portugal o plano de vacinação é obrigatório para todas as crianças e jovens abaixo de 18 anos de idade. Fazem parte do plano nacional de vacinação, vacinas contra:
• Tuberculose
• Hepatite B
• Haemophilus Influenzae b
• Difteria – Tétano – Tosse Convulsa
• Poliomielite
• Difteria – Tétano
• Meningite C
• Sarampo – Papeira – Rubéola
• Infeções pelo vírus Papiloma Humano

O plano de vacinação começa no nascimento, até aos 18 anos de idade, sendo que depois de 10 em 10 anos é dada a vacina da Difteria – Tétano.

Vacinação

Efeitos da não vacinação

A não vacinação faz com que os casos de doenças, controladas através da vacinação e praticamente erradicadas aumentem. Voltando ao caso que despoletou em Portugal em abril de 2017. O sarampo havia sido dado como erradicado em 2004, sendo que os casos que se vieram a saber durante esses anos foram importados ou derivaram desses (contágio secundário).
A não vacinação das crianças começou com movimentos antivacinação e de várias motivações, e principalmente em países desenvolvidos. Há ainda países cuja vacinação é impedida devido a crenças religiosas.
A maioria dos pediatras é contra a não vacinação. Consideram que os pais que não vacinam os filhos, mantêm-nos em segurança, devido à imunidade de grupo, só que a médio ou longo prazo acaba por ser uma atitude perigosa, pois quando forem adultos, serão mais suscetíveis às doenças, e com a introdução do agente infecioso na comunidade acabará por surgir surtos.

Vacinar para quê?

Foi graças à vacinação que a maioria das doenças foi erradicada. Como a varíola, completamente e a poliomielite e o sarampo quase na totalidade a nível mundial!
As vacinas ensinam o sistema imunitário a reconhecer e a combater o agente patogénico que provocam a doença.
O risco de não vacinar uma criança não é apenas para ela, nem para a família, mas sim para a população em geral! É assim um problema de saúde pública, pois pode estar a disseminar o agente patogénico da doença.

As vacinas são seguras, simples, salvam e protegem vidas.

Qualquer dúvida que tenha quanto à vacinação, fale com o pediatra da sua criança.

Partilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

Deixe uma resposta